Obra de Clarice Lispector é lançada na Espanha

Em parceria com a associação Brasil Auê, de imigrantes brasileiros residentes em Barcelona, o Club Editor relança livros em catalão e com muita música.

 

O Club Editor e a Associação Brasil Auê se unem para lançar a obra completa de Clarice Lispector na Espanha, mais especificamente na região da Catalunha, com os livros traduzidos pela primeira vez para a língua catalã – idioma falado em Barcelona e cidades e povoados que circundam a região. “A Hora da Estrela” e “Um Sopro de Vida” são os primeiros a ganharem esse espaço e, para comemorar, uma festa seguindo os protocolos de segurança vai trazer muita arte brasileira, no próximo dia 27 de julho.

 

A partir das 21h30, o Ateneu Barcelonès recebe um recital que inclui três títulos da autora, além de um show com músicos do Brasil radicados na cidade, mostrando os ritmos da terra natal. Os ateneus são espaços de autogestão que incentivam a cultura de diferentes formas e disseminam a arte de maneira acessível a toda população.

 

Brasil Auê

A Associação Brasil Auê nasce em plena crise sanitária provocada pela Covid-19.

Após mapeamento, estudos e reuniões, ela foi criada com o objetivo de fortalecer,

promover e divulgar as diversas expressões da cultura e tradições brasileiras por meio da arte em Barcelona, propiciando a criação de ferramentas e recursos para melhorar a situação laboral dos artistas e produtores residentes ou em trânsito, facilitando assim processos do trabalho, destacando iniciativas culturais já existentes, criando novos produtos  e gerando espaços para o intercâmbio e a integração das diversas formas de criação artística. Hoje, a futura cooperativa conta com 18 sócios ativos que trabalham com: fotografia, cinema, poesia, música, teatro, dança, comunicação e circo.

 

Club Editor

A editora independente de 60 anos chega a fazer um lançamento por mês, a cada ano, geralmente com edições em catação e espanhol. Criado por um grupo de escritores com a decisão de construir o que o regime ditador de Franco havia destruído, a ideia é sempre trazer uma literatura que mexa com o público. Antes, chamava-se “el club dels novel·listes”, abrigando a obra de Mercè Rodoreda escrita desde o exílio. Joan Sales, que dirigiu o projeto, tem como lema: “os livros também são uma arma”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *