Banda Sofá a Jato une música indie e cultura geek no álbum “Revoada”

Banda Sofá a Jato une música indie e cultura geek no álbum “Revoada”

Contando uma história do início ao fim, a Sofa a Jato, uma das bandas de destaques no cenário da música brasileira, lançou recentemente o álbum “Revoada” em todas as plataformas digitais. O trabalho representa tudo que a banda sempre construiu na sua trajetória: ser e discutir escape e traz referências geeks.

Com uma narrativa que se completa, “Revoada” versa sobre como é possível se perder em fantasias e esquecer dos outros, trazendo solidão, isolamento e até um certo tom de covardia em não participar da realidade. Se conectando com a cultura geek, as canções trazem samples de música de videogames, de animes e os artistas utilizam de palavras e linguagem de RPG ao longo de toda a obra para trazer a ideia do mundo mágico e aventuresco.

O trabalho conta com 10 faixas autorais. Com este disco a banda tinha o desejo de tentar fazer algo que juntasse o amor pela música, aos jogos de videogames, suas trilhas, animes, quadrinhos e RPG em uma coisa só, mas sem deixar de lado o tema de isolamento, depressão e responsabilidade em não participar do mundo. Essa temática inclusive foi fortemente inspirada pelo anime Neon Genesis Evangelion, que acaba tendo uma narrativa que soa parecida no centro dele.

“Acho que sempre sentimos falta de obras musicais que se comunicassem mais diretamente com esse lado nerd nosso, de mundos mágicos e da atmosfera como um todo, só que sem soar caricato. Sendo mais sutil. A narrativa que a gente conta tem a ver com isso, então faria sentido a gente trazer essas inspirações pra dentro da obra e assim tentar tocar as pessoas que também sentem que têm essa lacuna faltando”, conta a banda.

Todas as 10 faixas contam com títulos que remetem a games, como lugares, objetivos e etc. Confira o tracklist do álbum:

1 – Mapa

2 – Lugar

3 – Bússola

4 – Rei

5 – Retrato

7 – Armadura

8 – Baú

9 – Dilúvio

10 – Tentar

Nos audiovisuais toda a proposta fica ainda mais aparente. No clipe de “Sol”, a banda usou um programa de fazer jogos chamado Unreal Engine para compor o final. Já para o de “Lugar”, eles trouxeram a trajetória de um personagem baseada em missões de jogos como Zelda e outros RPGs atuais.

A união da música com os gostos da banda é nítida em todas as formas de divulgação nas redes sociais. “O desejo sempre foi conectar tudo: desde os quadrinhos da banda que fazemos pra contar nossos bastidores, o nosso show com projeções inspirada em Studio Ghibli, até os nomes das músicas como Bússola, Armadura, Baú, etc”, afirmam.

Sobre como vem sendo o retorno do público quanto ao álbum, a banda conta: “Várias pessoas estão pegando várias referências que a gente espalhou pelo disco. Até acharam um sample do corvo do Zelda em uma parte. Também ouvimos frases como: ‘Esse é o melhor disco que já ouvi’, vindo de pessoas que a gente pensava enquanto fazia ele. É bem gratificante receber esse carinho todo e saber que a estética nerd/aventureira/indie que a gente tentou criar, realmente tocou a galera. No final das contas ser ‘nerd’ hoje em dia é bem amplo, mas acho que o que tem em comum é a estética e ir fundo nas coisas que gosta, por isso tentamos fazer um álbum com muitas camadas e referências pra galera explorar”.

Sobre a Sofá a Jato:

Inspirada pela terrosidade da canção brasileira, a Sofá a Jato, é uma banda de Porto Alegre formada pelo trio Frederico Demin, João Beal e Yussef Lima e de grande destaque na cena da música indie.  O grupo cria sua própria paisagem musical, aliando elementos tradicionais como a viola, violão e bandolim ao uso de sintetizadores, loops de bateria e texturas.

Em um ambiente que mistura o cotidiano a um mundo de fantasias, as camadas sonoras de cada composição criam um clima épico, onde a realidade é confrontada pela sensação de fuga, proposta pelas letras e arranjos. A banda mostra esse contraste substituindo o baixo  tradicional por um sintetizador, que se contrapõe à sonoridade acústica do violão e violas.

A formação se completa em  uma bateria seca, em contraste à ambiência formada  pelas texturas sintéticas. Essas opções contribuem para a construção de um lugar-lírico cheio de camadas, onde o espectador  encontra afinidade embalado pelas vozes com  propósito de conduzir o ouvinte em uma jornada.

Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: